sexta-feira, 3 de junho de 2011

Festival Mundial da Ciência espera atrair 150 mil pessoas em Nova York

Nova York, 1 jun (EFE).- O Festival Mundial da Ciência retorna nesta quarta-feira a Nova York para tornar a ciência e seus mistérios mais compreensíveis às mais de 150 mil pessoas esperadas nas 50 atividades programadas para sua 4ª edição.

Durante os próximos cinco dias, nova-iorquinos e turistas poderão participar de conferências, debates, projeções e oficinas organizados para todo tipo de público em diferentes pontos da cidade.

O objetivo é desmistificar os fenômenos científicos e aproximar o público das leis que regem a natureza, inclusive colocando-as à toda prova, explicaram os organizadores.

O Festival reunirá personalidades variadas como o Nobel de Física em 1979, Steven Weinberg; o guitarrista americano Pat Metheny, ganhador de 17 prêmios Grammy, e até Watson, o supercomputador da IBM que venceu dois seres humanos no "Jeopardy!", famoso programa de perguntas e respostas da TV americana.

Para abrir o festival, o ator Alan Alda, grande entusiasta da ciência e presença habitual no evento, apresenta nesta quarta-feira uma peça escrita por ele sobre a vida de uma das cientistas mais conhecidas da história, Marie Curie.

"Esta obra tem romance, aventura, sexo e desafios intelectuais; tem de tudo", explicou Alda, acompanhado no palco do Lincoln Center pela atriz Maggie Gyllenhaal.

A peça - interpretada por Amy Adams, Allison Janney, Bill Camp, Liev Schreiber e David Morse - "explora as paixões intelectuais" de Curie, "famosa por suas pioneiras pesquisas no âmbito da radioatividade, mas também por sua tumultuada vida privada.

Entre as curiosas atividades programadas para esta semana, uma sessão explicará por que é possível que o mundo físico que conhecemos seja na realidade uma projeção, similar a um holograma; enquanto outra estabelecerá as relações entre genialidade e loucura.

Em outra sessão, o gerontologista Aubrey de Grey defenderá sua teoria que em breve será possível evitar que alguém "morra de velhice", deter o envelhecimento e inclusive revertê-lo. Grey acredita que já nasceu gente no mundo que chegará a viver mil anos.

Sexualidade, memória, matemática e até criptografia (por meio da participação da NSA, a Agência Nacional de Segurança americana especializada em comunicações codificadas) são outros dos temas abordados pelo festival.

Quem visitar o evento terá ainda a oportunidade de escutar James Watson, um dos pais da biologia molecular e agraciado em 1962 com o Prêmio Nobel de Medicina por sua teoria da "dupla hélice" para a estrutura do DNA.

Para o fim de semana, estão programados um bazar de artigos relacionados com o tema e diversas atividades ao ar livre para "se desfrutar a ciência em família". EFE

Nenhum comentário:

Postar um comentário